segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Kanten - Ponto de vista - Okuribito, "As Partidas"

Como disse ontem, nesse último sábado fui assistir ao filmeおくりびと , traduzido para português como "As Partidas".
Na verdade, acredito que essa tradução venha do título em inglês, "Departures". Faz mais sentido, pois 『おくりびと』 vem de(おく)る人(ひと), ou seja, literalmente "Pessoa que envia".

Como não quis recorrer a cópias piratas (aliás, me orgulho de até hoje nunca ter comprado um dvd pirata em toda a minha vida), esperei meses até que o cinema "cult" daqui de Londrina resolvesse colocar em cartaz o vencedor do Oscar de melhor filme estrangeiro de 2008.

E foi inesperado, eu já nem contava mais com isso!

Mas valeu a pena esperar.

Achei extremamente interessante a maneira com que o filme retrata o comportamento nipônico diante de situações fúnebres. Por mais que eu conheça relativamente bem a maneira como os japoneses se portam em determinadas situações, foi praticamente o meu primeiro contato com este aspecto cultural.

Uma das cenas mais marcantes é também uma das mais dolorosas, pois não é sempre que vemos um típico homem de meia-idade, todo conservador e orgulhoso, sucumbir às lágrimas diante da perda da esposa.

Sob o aspecto linguístico, vale a pena observar que, em momento algum as personagens utilizam o verbo (あい)する, por mais que na legenda aparecesse "amar". Ao invés, dizem simplesmente (す), que apesar de ser um simples "gostar", é exatamente a expressão mais usada para demonstrar afeto.

Um detalhe relacionado a isso é que o jovem casal não troca se quer um "selinho" quando ele sai para trabalhar, de manhã.

São comportamentos tipicamente japoneses, em que há tanto zelo pela discrição que são interpretados como "frios" pelos brasileiros, mesmo não sendo o caso!

O filme ainda conta com uma fotografia belíssima, na província de Yamagata, norte do Japão. E como se não bastasse, a música, que pode ser escutada no vídeo abaixo, também tem um papel fundamental na história, que é uma das mais tocantes que tive contato nos últimos anos, sem demagogia.



Recomendo a todos que queiram conhecer um pouco mais sobre as peculiaridades da cultura japonesa, condensadas de maneira majestosa nesta obra realmente merecedora de todos os prêmios que já recebeu e venha a receber.

4 comentários:

Simonia Fukue disse...

Ei de procurar este filme para ssistir. Parece muito bom mesmo!!! Beijos milk

Rafaela Gimenes disse...

Verei nesta terça, depois falo o que achei. :D

Beijo.

gnk disse...

gostaria de entender a expressão
keredomo,keredo,kedomo,dakedo.

obrigado

Prika_arakaki disse...

Nossa, pensei que "Okuribito" fosse "O que retorna" (de kuru=voltar; como "tabibito"= o viajante; "o" sendo um prefixo de respeito).
Talvez o diretor tivesse pensado na possibilidade dessa ambiguidade ao deixar o título em hiragana...
PS.: GNK, infelizmente não entendo nihongo o suficiente para ajudar...