terça-feira, 31 de março de 2009

TEKUNOROJĪ - Technology; Parte 1: Comando cerebral

Que o Japão é o país da robótica todo mundo sabe.

E volta e meia aparecem umas notícias no mínimo curiosas relacionadas à tecnologia em geral. Algumas totalmente inúteis, mas muitas realmente interessantes, com potencial para, quem sabe, mudar nossas vidas para melhor algum dia.

Pensando nisso, tive a idéia de postar algumas notícias ligadas à ciência e tecnologia que podem ser interessantes para muitos.

Sei que se você procurar a notícia no Google, vai achar artigos em português, mas mesmo assim vou sempre procurar traduzir o que encontrar em sites em japonês, ok?


Só com o pensamento... Uma técnica para controlar um robô com o cérebro.

A empresa Honda anunciou hoje, dia 31, uma nova tecnologia que mede a atividade cerebral e permite movimentar um robô apenas com o pensamento.

Pela primeira vez no mundo, foram utilizadas as tecnologias Eletroencefalografia (EEG), que mede a variação de potencial do couro cabeludo, e Espectroscopia de Reflectância no Infravermelho Próximo (NIRS), de maneira conjunta.

Basta colocar o dispositivo na cabeça e imaginar partes do corpo como "mão direita", "mão esquerda", que o o robô capta o resultado gerado e movimenta a parte correspondente.

Fonte: Sankei Shimbun


Interessante, não?

A Honda comentou que pretende aplicar essa tecnologia em robôs que obedeçam nossos pensamentos e ajudem nas tarefas do lar.

Desde que a (atualmente) montadora de carros não vire uma SKYNET, tá ótimo....

Quem quiser ler a matéria original, clique aqui.

Ah, e não se iludam achando que eu sabia a tradução de EEG e NIRS. Perguntei para dois amigos muito inteligentes: esse e esse.

:)

Iniciantes, Pré-Intermediário, Intermediário - Interpretando o Katakana

Quem já escutou, seja ao vivo ou pela tv, os japoneses dizendo ドンマイ /'don.mai /?

Eu escutava essa expressão frequentemente, principalmente no esporte, e inclusive passei a usá-la quando entrei no clube de soft-tennis, no ginásio.

Só depois de um tempo fui descobrir que donmai vem de "DON'T MIND", ou seja, "não se preocupe"...

É... Como disse, muitas vezes o katakana exige raciocínio e interpretação!

:)

segunda-feira, 30 de março de 2009

Pré-Intermediário - Partículas: も

Continuando com as de-vez-em-quando-incômodas-partículas, hoje é a vez de .

Vejamos:

あらっ、あなたブログを始(はじ)めたの?

"Ah, você também começou um blog?"


Ou uma das frases clássicas (lê-se: batidas):


わたしブラジル人です

"Eu também sou brasileiro".


Mas o sentido muda um pouco quando é usado da seguinte maneira:


ディープ・パープルイエスイングランドのバンドでしょ?

"Tanto Deep Purple quanto Yes são bandas da Inglaterra, não são?"


3月(さんがつ)4月(しがつ)すずしいね

"Tanto em março quanto em abril (o clima) está fresco, não?"


Acho que não gera confusão, como outras partículas!

Ideogramas - Imaginação

Palavrinha da vez:

Lê-se: /sō.zō/

Pensei em deixar uma frase contendo essa palavra como exemplo:

想像してみて、すべての人が世界を分け合うことを。」

Quem entende bem deve saber de onde é essa frase.
Ou quem que não sabe mas me conhece bem.


・ すべての人(ひと): todas as pessoas;

・ 世界(せかい): mundo;

・ 分(わ)け合(あ)う: dividir, compartilhar;


Aí fica fácil, né?

"Imagine all the people sharing all the world"

:)

Intermediário - Auto-apresentação:

Dando continuidade ao assunto auto-apresentação, vamos ver um exemplo qualquer, do nível intermediário:


はじ)めまして。」

佐々木(ささき)フェルナンドです。」

"Eu sou Fernando Sasaki."


ブラジルのロンドリーナ()から()ました。

"Venho da cidade de Londrina, no Brasil."


24(さい)です。」

"Tenho 24 anos."


去年(きょねん)の9(がつ)日本()ました。」

"Vim para o Japão em setembro do ano passado."


日本語勉強(べんきょう)していますが、むずかしいです。」

"Estou estudando japonês, mas é difícil."


わからない(とき)はどうか*ゆっくり(はなてください。」

"Quando eu não entender, por favor falem devagar."

*どうか, ao pé-da-letra, significa "de alguma maneira". Aqui ele aparece para não deixar a frase muito direta!


どうぞよろしくおねが)いたします。」


É sempre simpático dizer, quando possível, alguma coisinha a mais sobre você mesmo!


P.S. Sasaki, pode ir treinando, cara!

domingo, 29 de março de 2009

Pré-Intermediário, Intermediário - "Katakanês"

Desde a popularização da World Wide Web no Japão, centenas e centenas de palavras ligadas à Internet invadiram o seu idioma, juntando-se àquelas que já eram utilizadas desde os primórdios da era da informática.

Sabemos que naturalmente quase todas elas são palavras inglesas, portanto escritas em katakana.

Há quem não goste de katakana, alegando que ele é chato de se decorar ou porque é foneticamente limitado.

Bom, chato de decorar talvez porque não é tão usado quanto hiragana, mas é apenas questão de prática!

Agora... a limitação fonética não tem jeito. Algumas palavras ficam bem diferentes do original, nos obrigando a usar a interpretação para descobrir seu significado.

Pensando nisso, fiz uma pequena lista de termos ligados à informática em geral que são bastante comuns (alguns mais, outros nem tanto) aos internautas.

Classifiquei com estrelas de acordo com a dificuldade de descobrir a palavra correspondente em inglês (sendo ★★★ o mais difícil).

Tente descobrir! Quem acertar todas sem procurar no google ganha... um parabéns! :P

  • インターネット ★
  • サイト ★
  • ブログ ★
  • マイクロソフト ★
  • アップル ★★
  • グーグル ★★
  • ダウンロード ★
  • アップロード ★
  • プロバイダー ★★
  • モニター ★
  • マウス ★
  • キーボード ★
  • マイク ★
  • ブロードバンド ★
  • モデム ★
  • マザーボード ★★★
  • スピーカー ★
  • アルゴリズム ★★★
  • ジャヴァ ★
  • ユートゥーブ ★
  • ノートブック ★
  • リロード ★★
  • アーカイブ ★★
  • セーブ ★
  • ファイル ★
  • ロード ★
  • シャットダウン ★
  • フレームワーク ★★
  • ハードウェア ★
  • ソフトウェア ★
  • プリンタ ★
  • スキャナー ★
  • ケーブル ★
  • ピクセル ★
  • コネクション ★
  • ログイン ★
  • チャット ★
  • メッセンジャー ★
  • ヤフー ★★
  • セタップ ★
  • ブックマーク ★
  • ワード ★★
  • エクセル ★
  • パワーポイント ★
  • アクセス ★
  • トゥイッター ★★
  • オルカット ★★★
  • マイスペース ★
  • フェイスブック ★
  • フリッカー ★★★
  • アンドロイド ★
  • タッチスクリーン ★★
  • インターフェイス ★★
  • プレステ ★★
  • イーコマース ★★★
  • インストール ★★
  • ホームページ ★
  • キーワード ★
  • ハッカー ★
  • ウィルス ★
  • パスワード ★
  • アプリケーション ★
  • ディーブイディー ★★★
  • ダブルクリック ★
  • デスクトップ ★
  • ノートパッド ★
(Percebe-se que está na ordem que fui lembrando!)

Em breve coloco as "respostas"!

Iniciantes - Auto-apresentação: versão simples 1

Vamos ver então uma autoapresentação muito simples, voltada para quem ainda não se familiarizou muito com o idioma:


はじめまして。」
/ha.ji.me.'ma.sh.te/

Como foi dito anteriormente, é uma expressão imprescindível no início de qualquer autoapresentação.


わたしのなまえは_______です。
/wa.ta.'shi_no_na.ma.'e_wa________ 'de.su/

"Meu nome é _________" .

Lembrando que no Japão, o que mais importa é seu sobrenome, portanto você deve seguir a ordem: sobrenome;nome.

Se você tiver 3 nomes ou mais, fica: sobrenome; primeiro nome; segundo nome; ... ; enésimo nome.


ブラジルからきました。
/bu.ra.'ji.ru_ka.'ra_ki.'ma.sh.ta/

"Sou do Brasil".


____ さいです。
/____ sai_'de.su/

"Tenho ___ anos". *Vou postar algo relacionado a números em breve!


どうぞよろしくおねがいいたします。
/'dō.zo_yo.ro.shi.'ku_o.ne.'gai_i.ta.shi.'ma.su/

Caso não tenha lido o post anterior, clique aqui e veja mais sobre essa expressão.


Lembrando, claro, que ao final, você deve fazer um leve おじぎ /o.ji.'gi/.

Iniciantes, Pré-Intermediário - Auto-apresentação

Falei anteriormente sobre a importância que os japoneses dão à auto-apresentação. Acredito até que seja uma característica comum à maioria dos povos asiáticos.

Sem dúvidas é um gesto muito cortês, mas... sei que muitas pessoas (exemplo: eu) passam pela não muito agradável experiência de ter que falar um pouco de si mesmas diante de um grupo de desconhecidos, mesmo sem dominar o idioma.

Para que não seja assim tão desagradável, vamos ver algumas sugestões de como contornar esta situação.

Vamos começar do mais básico possível, voltado para quem estudou muito pouco nihongo ou mesmo nunca.

A auto-apresentação pode ser bem enxuta, dizendo apenas o nome, país de origem e idade, quem sabe. Mas se há algo indispensável, são as seguintes frases:

はじめまして /ha.ji.me.'ma.sh.te/

e

どうぞよろしくおねがいいたします /'do.zo_yo.ro.shi.'ku_o.ne.'gai_i.ta.shi.'mas/

ou

どうぞよろしくおねがいします /'do.zo_yo.ro.shi.'ku_o.ne.'gai_shi.'mas/

mas a primeira opção é preferível, já que tem um nível mais alto de formalidade.

O que elas significam?

Bem, o duro é que elas não têm uma tradução exata... pelo menos nenhuma que soe suficientemente natural.

Mas ao dizer hajimemashite (sempre no início do seu "discurso"), você está saudando a todos e deixando bem claro: "gente, prestem atenção que vou me apresentar!".

Mas se você fizer questão de uma tradução... ah, eu diria que é algo como "Olá a todos!". Simples assim. Pelo menos o sentimento contido é parecido.


Já a segunda frase, que parece ser enorme mas não é, representa sua postura de humildade perante aos demais e que, a partir daquele momento, vocês não são mais estranhos.

Também não tem uma tradução exata, mas carrega o sentido de pedir a todos que se socializem com você.

O seu uso é obrigatório, a não ser que você queira deixar uma imagem de insolente logo no primeiro contato com as pessoas, o que eu sinceramente NÃO recomendo! :P

A seguir, alguns exemplos de autoapresentações separados por nível!

sábado, 28 de março de 2009

Kanten (観点、かんてん)- Ponto de vista; parte 3 - "Bem-vindo"

O povo japonês é conhecido pela sua educação, certo?

Certo. Tanto no sentido de escolaridade quanto no de comportamento. Existem dezenas, senão centenas, de características que derivam desta qualidade que para nós, brasileiros, chegam a ser surpreendentes.

Vou relatar uma recordação pessoal minha que diz respeito ao tratamento dado a clientes de um estabelecimento qualquer.

Havia acabado de chegar ao Japão, aos meus 9 anos de idade, portanto ainda me adaptava àquele ambiente tão diferente.

Certo dia, fui com os meus pais a um shopping, mais exatamente um departament store, muito comum por lá.

Peguei a escada rolante, fui subindo... e assim que cheguei ao piso superior, me deparei com uma funcionária do shopping, com um uniforme e postura ambamente impecáveis, voltada para minha direção. Antes que eu tivesse tempo de questionar
"O que essa moça faz aí de pé, parada?",

percebi que, obviamente, ela estava ali por um motivo.

E eis o motivo: se curvar para TODOS os clientes que subiam pela escada rolante e proferir um leve "irashaimasê", ou seja, "Bem-vindo".

Mas como assim, a função dela era essa? Ficar ali de pé por horas a fio abaixando a cabeça pra estranhos, e ainda por cima de salto-alto? Ela era paga só pra isso??

Sim.

Isto ocorreu há mais de uma década, mas me lembro nitidamente, e é fácil entender por quê: nunca, nunca, jamais, eu havia sido recepcionado por uma funcionária de um estabelecimento de uma maneira tão educada e cortês.

Aquilo marcou meu então-cérebro-de-9 anos de tal modo que guardo este acontecimento corriqueiro (pelo menos para os nativos era uma coisa óbvia, natural) como síntese do comportamento profissional japonês perante um cliente.

Aqui no Brasil não existe este tipo de tratamento, certo? Opa, claro que existe. Mas que eu me lembre, só em restaurantes e hotéis mais requintados (não que eu tenha ido a muitos).

Ir a um supermercado do Brasil esperarando este tipo de respeito, que no Japão é algo inerente a qualquer tipo de comércio, é sinônimo de frustração.

Claro, não é bom generalizar, mas eu fico surpreso quando recebo um atendimento bom. Sinal de que na maioria das vezes isto de fato se confirma.

O que é lamentável no nosso país é que os estabelecimentos só dão a devida importância ao atendimento ao cliente quando este é exigente o suficiente para considerá-lo um fator determinante entre optar pela concorrência ou continuar sendo cliente.

Ou seja, enquanto que para nós brasileiros um bom atendimento é muitas vezes visto como um diferencial competitivo, para os japoneses ele se enquadra nas exigências mínimas que um consumidor pode ter.

Mas ora, claro que esta não é uma filosofia que não pode ser incorporada ao nosso país!

Basta voltar ao tempo, lá pro ano de 1500, e recomeçar tudo do zero, com uma cultura totalmente diferente!

Simples, não?

Intermediário - それぞれ

Uma palavrinha muito útil:

それぞれ

Vejamos dois exemplos:


「パトとアドリーノはそれぞれミランとインテルの選 手(せんしゅ)です」

"Pato e o Adriano são respectivamente jogadores do Milan e da Inter"


「卒業式(そつぎょうしき)の後(あと)、生徒(せいと)たちはそれぞれのうちへ歩(ある)いて帰(かえ) りました」

"Depois da formatura, os alunos foram andando de volta para suas respectivas casas"


Simples, não?

Quem é ligado em J-Pop e conhece a música "Beloved" (pronunciada ビーラブド /bī .'ra.bu.do/ por lá), da banda Glay (eu disse gLay!), deve se lembrar da letra:


「やがて来るそれぞれの交差点(こうさてん)


迷い(まよ)いの中、立ち止(ど)まるけど


それでも人はまた歩(ある)き出す」

quinta-feira, 26 de março de 2009

Pré-Intermediário - Partículas: の

Há uns dias falei sobre a partícula は , certo?

Então hoje vou tratar da partícula , que é bastante simples.

Bom, acredito que 99% das autoapresentações comecem com "Meu nome é...", certo?

Então,

わたしのなまえは ____ です。

Olhe que simples: para formar pronomes possessivos, basta adicionar depois de わたしあなたきみぼく etc.

Outro exemplo:

これはぼくのですか

"Isto é meu?"


Pode ser usado também entre dois substantivos:

ブログタイトル

"Título do Blog"


No geral o mantém essa idéia de posse, mesmo quando usada de uma maneira um pouco diferente.

Vejamos:

だれのiPodですか、あれ

"De quem é aquele iPod?"


なんのしゃしんですか

"É uma foto do quê?"


どこのサイトですか

"É um site de onde?"


いつのメールでしょうか

"De quando será que é esse e-mail?"


Uma outra aplicação é para falar do que se trata determinada coisa.

にほんごじしょ

"Dicionário de japonês"


サッカーのはなし


"Conversa sobre futebol"


Tudo muito simples, não?
Acho que com essa partícula não há maiores complicações!
:)


P.S. Deixo avisado que não sou expert em gramática portuguesa, até porque só a estudei no ensino médio, portanto qualquer lapso... gomen!

Kanten (観点、かんてん)- Ponto de vista - Discrição

Você gosta de generalizações?

Hmm... eu não muito, porque geralmente elas se baseiam em estereótipos!

Mas digamos assim, uma das características predominantes no povo japonês, em relação ao brasileiro, é que eles são (bem) mais comportados, contidos, discretos.

Isso pode ser observado no final desse vídeo, em que uma garota de 10 anos de idade faz uma performance extraordinária de uma versão instrumental da música Carry on my Wayward Son, da banda americana Kansas, que por natureza já é espetacular:



Quem me conhece sabe que sou bem discreto, mas se eu estivesse ali assistindo ao vivo...
Bom, minha reação seria no mínimo "um pouco" mais expressiva do que daquela platéia!

Mas sabe o que admiro nessa garota, além da sua habilidade genial?

O fato de ela ser tão novinha e gostar de uma música realmente boa, algo raríssimo aqui no Brasil!


P.S.
Pra quem ficou curioso para escutar a versão original, clique aqui.

Kanten (観点、かんてん)- Ponto de vista - Educação

Quem tem oportunidade de cursar o Ensino Fundamental e Médio em escolas particulares, aqui no Brasil, pode se considerar privilegiado.

Aparentemente uma afirmação óbvia, visto que a mensalidade em escolas "top" beiram o absurdo, mesmo numa cidade interiorana como Londrina.

Mas se você parar pra pensar que o que amplifica essa sensação de privilégio é a diferença abismal que existe entre escolas particulares e públicas, aí a coisa muda.

Por mais difícil que fosse (financeiramente), meus pais sempre deram um jeito para que eu continuasse estudando em escolas privadas, o que foi ótimo. Com exceção de um período de 5 anos que frequentei escola pública... no Japão.

De maneira curta e grossa: o ensino público japonês é melhor que o ensino privado brasileiro.

Essa afirmação, ao contrário da primeira, não é nada óbvia. É assustadora. E verdadeira.

Decidi entrar nessa questão da educação pelo seguinte: muitos brasileiros vão para o Japão, seja como turista, dekassegui, bandido... enfim. Mas quantas dessas pessoas chegam a frequentar uma escola pública (entende-se: nada bilingue) por lá e chegam a conhecer por dentro o sistema de ensino do país?

Então minha idéia é tentar passar um pouco do que vivi nas escolas japonesas, para que se tenha uma noção de como a educação deles funciona.

Não tenho a pretensão de que isso mude algo para melhor. Seria bom, mas deixemos os pensamentos utópicos de lado.

Será apenas para expor um pouco da cultura japonesa.

Vou escrever em partes, talvez em capítulos... A definir ainda.

quarta-feira, 25 de março de 2009

Ideogramas - Respeito

Hmm, depois de escrever sobre os idosos, acho que não há palavra mais adequada que "respeito", certo?

Lê-se /son.'/

Quem mora aqui em Londrina, pode perguntar:
"Nossa, igual ao nome da loja?"

Sim. Mas a pronúncia é mais para "sonkêe", ok?


Ah, quanto ao ideograma... Ainda não estou 100%!
Pode ser que meu perfeccionismo fale mais alto e eu acabe postando essa palavra de novo!

Kanten (観点、かんてん)- Ponto de vista - Comportamento; parte 3

Se eu afirmar que o transporte coletivo no Brasil é péssimo, creio que a maioria dos leitores irá concordar. Principalmente aqueles que já estiverem em algum país do primeiro mundo.

Mas não compete a mim levantar uma discussão de como a infraestrutura do nosso país é ou deveria ser.

Ao invés disso, gostaria de abordar um certo comportamento das pessoas que o utilizam por aqui. Mais especificamente um dos mais sofríveis: ônibus.

Na minha opinião é possível definir dois tipos de comportamento dentro de um coletivo.

Imagine a situação: ônibus fora do horário de pico, com alguns assentos vagos. Você entra, escolhe qualquer um e se senta. Conforme o itinerário é seguido, mais pessoas vão entrando, e já não há mais lugares disponíveis.

Aí que entra um idoso, visivelmente acima da idade mínima que dá direito a gratuidade em transportes coletivos. Ele olha pelo ônibus e não vê nenhum assento desocupado. Nem mesmo aqueles sinalizados como preferenciais a gestantes, idosos e deficientes físicos. Sem alternativa, ele se segura como pode, expondo a nítida fragilidade de suas pernas.

Agora fica fácil entender do que estou falando, não é mesmo?

Sim, existem pessoas que, educadamente, se levantam e cedem lugar aos mais necessitados. Mas é triste dizer que estas pessoas são, pelo menos na minha cidade, exceção.

O que faz, então, a maioria?

Bom, dentro desse grupo é possível criar subgrupos, de acordo com a reação. Há aqueles que desviam o olhar, cientes do seu próprio egoísmo, aqueles que veem mas não enxergam, isto é, não acham nada de mais, e há aqueles que se quer dão conta de que há uma pessoa com limitações físicas, muito mais merecedora de um assento.

Bom, se você (felizmente) não precisa andar de ônibus, não tem como saber dessa situação. Ok, mas consegue imaginar, certo?

Aqui no Brasil, transporte público é visto como coisa de pobre. É compreensível, dada sua precariedade. Mas volto a dizer: não vou entrar em questões políticas, até porque sempre as odiei.

O que quero salientar é que, pelo menos no Japão, a proporção dos dois grupos supracitados é justamente inversa.

Bom, se for pensar, é de se esperar que, no país com a maior população de idosos do mundo, eles recebam um tratamento mais respeitoso. Em outras palavras, lá é cultural ceder o lugar às inúmeras velhinhas e velhinhos que usufruem do transporte público, seja ônibus, metrô, trem... o que for.

Nunca estive na Europa, mas imagino que lá e em outros países mais civilizados, isto também faça parte do comportamento considerado padrão.

Há quem possa argumentar que este tipo de atitude, de ignorar a presença de idosos ou necessitados, seja típico da população com menor nível de instrução.

E quisera eu poder concordar. Talvez seria menos pior.

A realidade é que inúmeros estudantes de classe média, teoricamente com um nível socioeconômico mais alto, também agem da mesmíssima maneira. Talvez pensem "ah, por que eu, que estou pagando pra andar nesse ônibus, vou ter que ceder meu lugar pra alguém que anda de graça?".

Hm... difícil comparar o Brasil com o Japão. Virtualmente impossível em certos aspectos.

Mas quem sabe... quem sabe este texto conscientize pelo menos uma pessoa que se encaixa no segundo grupo?

Eu já ficaria muito satisfeito.

:)

terça-feira, 24 de março de 2009

Kanten (観点、かんてん)- Ponto de vista - Vinho + Entrevista = Hit no YouTube

Quem já esteve no Japão sabe que eles são chegados numa bebidinha.

Tudo bem, é um povo com tendência workaholic, muito estressado, vive numa hierarquia ultra-rígida etc. , enfim, há até algumas justificativas para certos comportamentos... extrapolados.

O que não se justifica muito é o Ministro da Fazenda do Japão, Nakagawa Shōichi, dar uma entrevista coletiva desse jeito:


video

Não se preocupe se você não entendeu o que ele disse.

Eu também não.

Diz-se que ele exagerou um "pouquinho" no vinho momentos antes da coletiva!
...pelo jeito não é só no Brasil!

segunda-feira, 23 de março de 2009

Iniciantes, Pré-Intermediários - Saudações: obrigado

Vimos anteriormente algumas saudações de encontro e despedida.
Vamos ver as restantes?

Claro, não todas, mas as que considero mais relevantes!


ありがとう /a.ri.ga.'tō/ ★★★

Hmm... gente, preciso de ajuda. Não consigo lembrar o significado dessa palavra. Não encontrei no Google.


ありがとう ございます/ございました /a.ri.ga.'tō_go.zai.'ma.su/go.zai.'mash.ta/ ★★★

Brincadeiras à parte, uma dúvida comum é: "quando usar o gozaimasu ou gozaimashita?".

Vamos por partes.
Ambos são utilizadas em situações que requerem formalidade.

Em tais situações, eles são obrigatórios? SIM, são.

Com um mínimo de contato com a cultura japonesa é possível entender que lá eles valorizam DEMAIS alguns pontos que, para o ocidente, seriam chamados de detalhes.

No caso, dirigir um simples arigatō para o diretor da empresa ou algum professor, por exemplo, ish... É considerado insulto. Portanto muito cuidado com o "detalhe".

Mas afinal, quando devo usar o masu e o mashita?

Bom, o mashita é empregado como uma saudação que encerra alguma atividade. Pode ser uma atividade cíclica, como uma aula, treino, disputa etc.

Eu mesmo fazia parte do clube de tênis, no ginásio. Todo dia, no final do treino, nos organizávamos um ao lado do outro, de frente ao professor, e gritávamos, todos juntos: "Arigatooo gozaimashitaaaa!!".

Êta fase cruel.


O gozaimasu, por sua vez, é usado quando se quer realmente agradecer por algo que acabou de acontecer. Hmm... por exemplo, se o seu chefe fez questão de pagar sua conta no restaurante, e você acabou aceitando, "arigatō gozaimasu".


どうも /'dō.mo/ ★★★

Essa é uma palavrinha curiosa.
Porque se por um lado serve para dizer "muito obrigado", por outro é uma saudação, como em "olá". Ou ainda para agradecer coisas corriqueiras, com pessoas desconhecidas, na rua.

Por exemplo, se tenho que descer do ônibus e a pessoa me dá passagem, ou se alguém segura a porta do elevador para mim, não vou agradecer com arigatō gozaimasu, por mais grato que tenha ficado! Não se encaixa na situação. Aí que entra um simples dōmo, que transmite sua gratidão perfeitamente.

Mas como que essa palavrinha pode substituir, por exemplo, um konnichiwa?

É difícil explicar... Mas contém um alto grau de formalidade, e eu diria que é bem impessoal.

Por exemplo, em uma situação profissional em que um executivo está visitando um possível futuro cliente, é natural que ele se apresente dizendo:

"Dōmo, _____ desu." (Com o seu sobrenome no espaço, obviamente).

Ah, claro que ele iria dizer o nome da sua empresa nessa mesma sentença, mas vamos manter a simplicidade aqui, ok?

Ah, não necessariamente ele tem que substituir as outras saudações de encontro. Pode-se combinar também:

"Dōmo, konnichiwa"

É, acho que é possível dizer que ele fica mais bem colocado em diálogos com pessoas desconhecidas, mantendo a formalidade.


...vish, esse assunto rendeu, hein?
Achei que daria pra falar sobre todas as outras saudações, mas... fica pra próxima!
:)

Iniciantes - Guia de sobrevivência

Fiquei tentando lembrar quais foram as frases que mais me fizeram falta quando cheguei ao Japão...

Mas logo me dei conta que TODAS fizeram falta, porque eu não sabia NADA.

Pois é. Mas sabem como é, aprendizado de criança é algo fantástico, e em questão de meio ano já me virava razoavelmente bem.

Porém isso não quer dizer que não passei apuros em algumas situações. E como passei!

Então pensei: "se eu conseguir fazer com que pelo menos uma pessoa não tenha que passar pelo que passei..." e decidi fazer uma compilação de frases simples mas bastante úteis!

Ah, recomendo fazer a leitura do post sobre pronúncias, caso ainda não a tenha feito.


すみません、にほんごわかりません。」

/su.mi.ma.'sen_ni.hon.'go_wa.ka.ri.ma.'sen/

"Desculpe-me, não entendo japonês"

Como foi dito anteriormente, sumimasen é a palavra mais usada no idioma japonês, e é imprescindível na hora de abordar pessoas na rua ou mesmo em lojas.

*daqui para baixo, "s." = sumimasen


すみません、えいごわかりますか?

/s. _ē.'go_wa.ka.ri.'mas.ka/

"Com licença, você entende inglês?"

Se você não tem nenhuma noção do idioma, uma saída pode ser recorrer ao inglês. Mas não conte muito com isso, pois no geral o inglês deles é tão bom quanto o meu ARAMAICO.


すみません、これはえいごでなんですか?

/s. _ko.'re_wa_ē.'go_de_nan_des.'ka/

"Com licença, como se chama isto em inglês?"

Se levar sorte, pode ser que a pessoa saiba a tradução do objeto em questão, mas... Em muitos casos você tem que interpretar ou deduzir. Por exemplo, você entenderia se a pessoa dissesse que é um "su.pu.'rin.gu_'rō.ru"?


すみません、ここはどこですか?

/s. _ko.'ko_wa_'do.ko_des.'ka/

"Com licença, onde é aqui?"

Se ficar perdido mas tiver se lembrado de comprar um mapa da cidade onde está, esta frase pode ajudar.


すみません、これはなんですか?

/s. _ko.'re_wa_nan_des.'ka/

Se você tiver um pouco de conhecimento de japonês e quiser arriscar uma pergunta com resposta mais aberta, esta é uma frase extremamente útil. Ah, se estiver evidente que você é estrangeiro, muito provavelmente eles irão tentar responder em inglês!


Ufa, acho que 5 frases está bom para o primeiro post sobre esse assunto, não?
Com certeza haverá mais em breve!

Ah sim, "su.pu.'rin.gu_'rō.ru" vem de "spring-roll", ou seja, rolinho primavera!
:)

domingo, 22 de março de 2009

Intermediário: にしては

Lembrei-me de uma expressãozinha voltada para nível intermediário:

~にしては

Vejamos este diálogo entre dois amigos:


昨日(きのう)試合(しあい)、見た?

"Assistiu ao jogo de ontem?"


あぁ、セリエAのこと? うん、見た見た。

"Ah, você diz, da Serie A? Arram, vi sim."


やっぱりミランはすごいよなぁ。(とく)カカがすばらしかっただろう?
"O Milan é incrível, não é mesmo? Especialmente o Kaká foi extraordinário, não foi?"


うん。でも全体(ぜんたいてき)に見れば、ミランにしては今一(いまいち)のパフォーマンスだったな。
"É. Mas no geral, considerando que é o Milan, foi uma performance meio fraca, hein?"


まぁね。
"Hmm, é..."


Ou seja, a expressão tem o sentido de "considerando que" ou "para ~ ".

Alguns detalhes do diálogo:

  • やっぱり: Usado para expressar subentendimento. No caso, indica que estava subentendido que o Milan é um tive admirável para ambos.
  • のこと: sobre algo ou alguém.
    Ex:
    「何のこと言っているのですか?」 "Você está falando sobre o quê?"
  • 見れば: condicional do verbo ver, olhar.
  • 今一: expressa leve insatisfação com algo ou alguém.


Outros exemplos usando にしては:


7月にしてはずいぶん(あった)かいね
"Para julho, até que está bem quente, não?"


1級(きゅう)にしてはそんなに難(むずか)しくなかったな

"Considerando que era o nível 1, não estava tão difícil assim"


P.S. Eu tinha elaborado esse post há alguns dias. Mas coincidentemente, hoje o Milan empatou em 0 x 0 com o Nápoli, num jogo sonolento. E o Kaká não foi nada extraordinário.

sábado, 21 de março de 2009

Ideogramas - Parte 3: Alma

Esse kanji eu certamente nunca vi "perambulando" aqui no Brasil.
Lê-se たましい /ta.ma.'shī/, alma.


Pré-Intermediário - Partículas: は

Uma das coisas que mais me chamaram atenção quando comecei a dar aula de nihongo foi o uso das famosas partículas. Até então, nunca tinha parado pra pensar a respeito delas, já que aprendi na prática, sem me preocupar com explicações gramaticais.

Reconheço que em alguns casos elas podem ser um pouco confusas. Então, para amenizar um pouco dessa aparente complexidade, pretendo tratar de cada uma delas aos poucos, através de exemplos.

Bom, elas são: は, が, か, に, で, も, の, e .

Pela lógica, devo começar pela は /wa/.

Caso alguém diga "mas essa letra é HA!", é compreensível. O que acontece é que quando esta letrinha vira uma partícula, obtém som de wa mesmo.

Ok, se vamos começar do começo mesmo, que seja então com o tipo de frase mais elementar possível:

ぼくイギリス人(じん)です。
"Eu sou inglês."

ou então,

あのせんせいおもしろいでしょ?
"Aquela professora é engraçada, não é?"

ou seja, em frases diretas do tipo

substantivo + é + adjetivo
,

o entra como se fosse o verbo ser. Como se fosse, mas não é.


Outro uso de é quando se quer perguntar informações diretas, por exemplo:

おなまえ?
"O seu nome é...?"

おしごと?
"O seu trabalho é...?"


e também para dizer a idade:

ぼく21さいです。
"Eu tenho 21 anos"


Ou então, quando se quer saber do paradeiro de alguém ou algo:

ウルトラマン?
"Cadê o Ultraman?"

あれっ、かさ?
"Ué, cadê o guarda-chuva?"


Ou ainda, para perguntar sobre a situação de determinada entidade, atividade, local etc.:

がっこう?
"E a escola (como está)?"

かぞく?
"Como vai a família?"


Estes são alguns exemplos, claro que há outros detalhes que podem ser explorados posteriormente!

:)

Pré-Intermediários - Pronomes; parte 2: Eu, você, ele e ela

Falei anteriormente sobre 5 pronomes: わたし, おれ, ぼく, おまえ e あなた.

Vamos ver, agora, os outros pronomes que, embora não tão utilizados, merecem nossa atenção.

São eles: きみ /ki.'mi/, わたくし /wa.ta.ku.'shi/, あんた /'an.ta/, かれ /'ka.re/ e かのじょ /'ka.no.jo/.

Bom, comecemos com きみ, que significa você.

Quem gosta de J-Pop deve escutar esta palavrinha o tempo todo. Afinal, é correspondente a ぼく, que foi citado no post anterior. Ou seja, contém um sentimento de afeto, carinho, e por este motivo é frequentemente empregado em letras e diálogos românticos.

Curiosamente, não é usado pelas mulheres, mas apenas pelos homens, quando não querem dar uma de "machão". Aquela mesma regra vale: nunca pode ser dirigido a superiores, pais, avós, professores, idosos...


わたくし, por sua vez, é pouco usado devido ao seu alto grau de formalidade.

É fácil deduzir que, pela semelhança com わたし, também significa eu, mas seu uso é apropriado somente em situações como: autoapresentação perante um grupo hierarquicamente superior, conversa com algum cliente especialmente importante, com alguma autoridade etc.


あんた, por mais engraçado que possa soar aqui no Brasil, não é um xingamento!

Sim, é a forma coloquial de あなた, como o próprio som sugere, mas sua aplicabilidade é bem diferente. Na minha experiência, é usado por meninas em relação a meninos, colegas de sala. Ou então de namoradas para namorados... acho (não cheguei a viver essa fase no Japão, por isso apenas acho). No geral, surge quando há um certo grau de informalidade e se quer ser um pouco mais suave que com o pronome おまえ.


かれ significa ele, e かのじょ, ela.

Porém... do mesmo jeito que あなた não é muito usado, por se dar preferência ao uso do nome da pessoa, estes dois pronomes também não aparecem muito no dia-a-dia com o sentido de ele e ela.

Opa, como assim? Então aparecem com outro significado?

Sim. Geralmente designam namorado e namorada (preciso falar "respectivamente"?).

Ah, mas e quando quero me referir a uma pessoa cujo nome não sei? Aí o normal é se dizer あの人(ひと), ou seja, aquela pessoa.


Ufa, mais cinco pronomes liquidados!
Restam mais alguns, mas de menor importância.
Fica para um próximo post!

quinta-feira, 19 de março de 2009

EXTRA - Nihongo naraê na mídia!

Gostaria de compartilhar com todos a matéria que o jornal Paraná Shimbun fez sobre meu blog:

http://www.paranashimbun.com.br/noticias/noticia.asp?nrseq=1527

A foto não ficou lá aquelas coisas, afinal o fotógrafo aqui é ao mesmo tempo mau fotógrafo e nem um pouco fotogênico...

Mas o texto em si ficou legal!

:)

Pré-Intermediário, Intermediário - Ouvi dizer que...

Gostaria de falar sobre a palavrinha らしい, que também não aparece muito em livros didáticos.

Vejamos um mini diálogo, entre dois amigos na escola:


明日(あした) (あたら) しい生徒(せいと)(はい)ってくるらしいぞ。」
"Parece que
amanhã vai entrar um aluno novo, viu?"

「えっ、ほんとに?」
"Ah, é mesmo?"

「あぁ、さっき(だれ)ってた。」
"Arram, alguém tava falando agora há pouco."


  • 明日 : amanhã;
  • しい : novo;
  • 生徒 : aluno;
  • ってくる : combinação de 入る+くる, ou seja, "entrar aqui". Se fosse simplesmente 「入るらしい」, iria ficar vago, sugerindo que o aluno entraria em algum lugar não especificado;
  • : terminação informal, usada quando se quer notificar ou alertar alguém;

  • ほんと : versão informal de 本当(ほんとう), ou seja, verdade;

  • さっき : agora há pouco;
  • (だれ) : alguém;

Portanto, らしい quer dizer "parece que...", "pelo jeito...", ou ainda "ouvi dizer que...".


Aqui ele apareceu depois de um verbo, mas pode ser usado depois de um adjetivo também:


「ブラジルはすごく(あぶ)ないらしいですからをつけてくださいね。」

"Dizem que o Brasil é muito perigoso, portanto tome cuidado, tudo bem?"

「はい、もちろんをつけます。」

"Sim, claro, vou tomar cuidado."


Outra aplicação bem diferente de らしい é:

「そんなことぐらいで(な)のは大人(おとな)らしくないよ。」

"Chorar por causa de algo assim? Nem parece adulto!", em uma tradução não literal.

Ou seja, serve para indicar que alguma situação ou atitude não é condizente com o que se espera dela.

Outro exemplo:


「また遅刻(ちこく)ですか。あなたらしくないですよ!」 


"Chegando atrasado de novo? Nem parece você!"

:)

quarta-feira, 18 de março de 2009

Kanten (観点、かんてん)- Ponto de vista - Ótica dos estrangeiros

Aqui vai a tradução do artigo sobre o povo japonês sob a ótica dos estrangeiros.

Atenção: a tradução não está ao pé-da-letra, mas desculpem-me se mesmo assim estiver um pouco estranha.
Eu concordo.



"Uma rápida observação nos carros circulantes leva à constatação de que as montadoras japonesas representam 40% da frota do Canadá, 90% da Austrália e 95% da Nova Zelândia.

Até mesmo em uma curta viagem ao exterior, é possível sentir o poder dos chamados 'produtos Made in Japan' desta maneira.

Diz-se que o Japão é um país em crise, mas observá-lo do exterior nos faz pensar 'Opa, acho que na verdade ele vai muito bem, hein? '.

Os produtos japoneses são famosos pela sua durabilidade e confiabilidade, mas além disso, existe uma admiração pelo próprio povo japonês que, além de ser capaz de criar tais produtos, é honesto, correto e cumpre com suas promessas.

É dito que, no exterior, donos de imóveis sentem-se tranquilos para fechar contrato quando o locatário é japonês.

O motivo é simples: os japoneses sempre pagam o aluguel de acordo com o combinado.

Em meio a tantos povos que surpreendentemente não obedecem uma regra tão simples como 'cumprir com um acordo', os japoneses são mundialmente reconhecidos como cidadãos confiáveis que honram seus compromissos. "




É, isso é bem real...
Interessante observar que este artigo foi escrito por um autor japonês para os próprios japoneses. Alguém pode até interpretar isso como autoafirmação, mas eu vejo da seguinte maneira:

Talvez eles não saibam que são admirados por algo que, por lá, não é nada além do normal.

Igualzinho aqui no Brasil, não?

Avançado - 外国人が見る日本人

Bom, eu disse que iria abrangir todos os níveis, certo?
Então, pra ser fiel à própria palavra, segue o primeiro post no nível avançado!

Se bem que... este texto é relativamente simples, se comparado com física nuclear, por exemplo.

Bom, enfim.

Encontrei o artigo abaixo enquanto procurava por outra coisa, mas achei bem interessante. É sobre os japoneses do ponto de vista dos estrangeiros.

Vamos dar uma olhada? 


町中(まちじゅう)なく見てみますと、カナダでは日本車(にほんしゃ)比率が40%、オーストラリアで90%、ニュージーランドにっては95%だということに気が() きます。」

  • (なにげ)なく : despretensiosamente, sem pensar;
  • 比率 (ひりつ): porcentagem;
  • (いた: chegar, alcançar;

家電製品人気があるのは、その日本メーカー製品です。

  • 家電製品 (かでんせいひん) : aparelhos elétricos de uso doméstico;
  • 人気がある (にんき) : ter fama, popularidade;
  • (すべ): tudo, todos;
  • メーカー : produtor, marca;

短期海外旅行ですら、こうしたメイドインジャパンの威力(かんじることができます。

  • 短期 (たんき) : curto período;
  • ですら : até mesmo;
  • 威力 (いりょく) : força, poder;

「日本
って不景気われているけれど、おやおや、これは案外スゴイなんじゃないの?とじるかんことができるのは、海外から日本なのです。

  • 不景気 (ふけいき) : crise, recessão;
  • おやおや : "opa!";
  • 案外(あんがい) : ao contrário do que se diz, se pensa;
  • (なが) : observar;

「日本製
商品れない、信用、ということもありますが、そうした製品日本人する評価も、約束(やくそく)まも、キチンとしている、真面目であ る、という評価です。」

  • 商品(しょうひん) : produto;
  • (こわ)れる : quebrar;
  • 信用(しんよう) : confiar;
  • (う): criar, inventar;
  • たい)する : a respeito de, em relação a, sobre ~ ;
  • 評価 : avaliação, conceito, opinião;
  • 真面目(まじめ) : honesto, idôneo;

海外都市では、そのがアパートや一軒家(か)とき、相手日本人だと安心して契約じる、といます。」

  • (しょ)都市 (とし) : cidades;
  • 一軒家 (いっけんや) : uma casa;
  • 相手 (あいて) : oponente, interlocutor (no caso, solicitante) ;
  • 安心 (あんしん) する : ficar tranquilo, calmo;
  • 契約(けいやく) : contrato;
  • (おう)じる : concordar, aceitar;
「その理由簡単(かんたん)で、日本人約束(やくそく) 家賃(やちん)を払(はら)ってくれるからだということです。

  • 理由(りゆう) : razão, motivo;
  • (どお) : de acordo com;
  • 家賃(やちん) : aluguel;

約束
、というルール意外らない人種(おお)日本人世界的(せかいてき)にも約束信用できる人間(にんげん)だと 思(おも)われています。」

  • 約束(やくそく)(まも) : honrar um compromisso;
  • ルール : regra (do inglês rule);
  • 意外(いがい) : surpreendentemente;
  • 人種(じんしゅ) : raça, povo;
  • 世界的(せかいてき) : mundialmente;
  • 人間(にんげん) : ser humano, pessoa;

Quem quiser ler o artigo na íntegra, clique aqui.

Vou colocar a tradução na categoria Kanten!