quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Forma て - Parte 4

Quando vejo que já se foi mais de um mês desde a última postagem, mal consigo acreditar. Fico pensando na época em que chegava a exagerar na dose, com até 3 posts em uma única tarde!

Bom, confesso que fiquei meio desapontado quando olhei a quantidade de acessos ao último post, nem de longe uma marca comparável ao auge de até uns 2 anos atrás. Mas hoje os tempos são outros, e infelizmente sobra-me muito pouco tempo para dedicar ao blog.

Porém, ainda continuo postando coisas pelo Twitter e meu livro está evoluindo, ainda que a passos curtos. Esse é um projeto do qual realmente não quero desistir, e penso em usar o blog como uma das principais ferramentas de divulgação. Mas sei que, pare isso, preciso dar uma revitalizada no visual e voltar a escrever com mais frequência. 

Melhorar o visual é algo que penso há muitos meses e sempre negligenciei; o resultado é um site apático com ares de abandono. Mas esta questão está quase solucionada. Quanto a escrever com mais frequência, hmm... se ao menos eu não perdesse 12 horas do meu dia no trabalho...!

Mas vamos ao que interessa: continuação do assunto forma て!

No último post, falei sobre fazer pedidos; hoje, o assunto é pedir e conceder permissão:


『先生(せんせい)、ちょっと(やす)んでもいいですか?』

"Professor, posso descansar um pouco?"


『うん、いいよ。』

"Sim, pode."


Sem querer escolhi o verbo 『休みます』, que me lembrou de comentar algo importante: a forma て nem sempre é て; pode ser で também!

Outros exemplos de verbo: 

噛(か)みます → 噛ん

遊びます → 遊ん

住(す)みます → 住ん


E muitos outros.

Mas o foco aqui é a estrutura:


verbo na forma て + も + いい


Se for uma pergunta, inserimos o 『ですか』, e se for uma permissão, apenas 『です』.

Muito simples, e muito útil!

Outras frases de exemplo:


(さわ)ってもいいですか?』

『いいですけど、気(き)をつけてください。』

"Posso tocar?"*

"Sim, mas com cuidado, por favor"

(*Passar a mão, mexer)


『ここでは写真(しゃしん)を(と)ってもいいですよ。』

『あっ、どうも。』

"Aqui você pode tirar fotos!"

"Ah, obrigado!"


『この水(みず)、(の)んでもいいですかね?』

『さあ、わからないです。』

"Será que posso beber essa água?"

"Hmm, não sei."


Ok?

Até a próxima, que espero que não seja daqui a um mês!

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Forma て - Parte 3

É impressionante como os dias voam. Já se passaram 12 dias desde o último post e eu nem tinha me dado conta.

Bom, continuando com a forma て, que volto a salientar que é a mais usada e portanto a mais importante, vamos ver como ela pode e deve ser usada para fazer solicitações sem ser direto demais.

Se dissermos, por exemplo:


『こちらにお名前(なまえ)とお住所(じゅうしょ)を書(か)いてください。』



Essa é exatamente a forma que vimos no post anterior, que em português seria assim:


"Por favor, escreva seu nome e endereço aqui."



Mas e se a frase fosse algo como


"Poderia me ensinar o caminho até a prefeitura, por favor?"



Aí é diferente. Se você disser:


『市役所(しやくしょ)まで道(みち)を教(おし)えてください。』



Digamos que a reação da pessoa iria depender da sua fisionomia. Ahn? Como?

Pois é, entra naquela questão: se você tem traços ocidentais e portanto deixa bem claro que é 外国人・がいこくじん, estrangeiro, a pessoa vai ser compreensível e lhe ensinar o caminho, provavelmente.

Agora, se você tem aparência e trejeitos orientais e abordar alguém na rua assim, as chances de levar um 『なんだ、こいつ?』 (algo como "Que tipo é esse?") são consideravelmente altas.

Isso porque eles naturalmente supõem que os orientais também sejam japoneses, e esperam um diálogo de acordo com as normas de conduta japonesas.

Como seria adequado, então?

Assim estaria ok:


すみませんが、市役所までの道を教えてもらえますか?』



O 『すみません』, como já disse por aqui, é a palavra-chave que nunca pode ser esquecida. Já o 『もらえますか』, que é o X da questão de hoje, equivale ao "Poderia...?". Fazendo perguntas assim, você não irá surpreender nenhum transeunte japonês. Talvez surpreendê-lo no bom sentido.

Então, sempre que for pedir algo de forma polida, utilize o verbo na forma て+もらえますか. Na forma mais que polida, temos também o 『もらえますでしょうか』, mas sabendo usar o もらえますか já está de bom tamanho! ;)

では。



quarta-feira, 11 de julho de 2012

Forma て - Parte 2

Sem deixar a peteca cair, vamos pra segunda parte dessa série sobre a forma て.

Hoje gostaria de falar sobre frases do tipo:


『段差(だんさ)に注意(ちゅうい)してください。』

"Tome cuidado com o desnível, por favor."



Ou seja, o verbo na forma て+下(くだ)さい é usado para fazer solicitações.

Mas não é porque temos o 下さい no final que podemos sair usando qualquer verbo em qualquer situação. Esse é um ponto muito importante, pois pode transformar uma frase bem intencionada em uma levemente mal educada, por ser direta demais.

Não vou entrar em detalhes nesse post (fica para o próximo), mas a forma て+下さい deve ser aplicada basicamente em duas situações:

1. Quando se quer ser direto mesmo.

例(れい):

『やめて下さい!』

"Pare com isso, por favor!"</center>

(Frase comumente usada por mulheres sendo assediadas na rua!)


『がんばって下さい。』

"Continue se esforçando, por favor."




2. Quando a frase a ser dita é para o bem da outra pessoa

Como assim?

例:

『お大事(だいじ)にして下さい。』

"Cuide-se!"


『早(はや)く元気(げんき)になって下さい。』

"Fique bem logo."</center>


Claro, existem situações que não se encaixam diretamente em nenhuma das duas, mas acho que podemos afirmar que a maioria se aproxima de uma ou outra.

では、次のポストまで!



segunda-feira, 9 de julho de 2012

Forma て

Já devo ter dito por aqui que, na minha opinião, a conjugação mais importante de todas é a て. Por isso, resolvi fazer uma série de posts explicando as principais aplicações da chamada "forma て", começando com a mais elementar de todas:


『株(かぶ)の値段(ねだん)が上(あ)がっています。』



Nesse caso, temos nada mais que o gerúndio:


"O preço das ações está subindo"



Mas é preciso tomar cuidado:


『この壁(かべ)時計(どけい)は去年(きょねん)から壊(こわ)れていますよ。』



Nesse caso, não faz sentido dizer que o relógio está quebrando desde o ano passado, certo? Pois é, a forma て serve também para expressar situações, condições do momento:


"O relógio de parede está quebrado desde o ano passado .



Mais um exemplo de cada tipo de uso:


『今(いま)、掃除機(そうじき)をかけています

"No momento estou passando aspirador de pó."


『ラーメン屋(や)はもう(し)まってますよ。』

"O restaurante de lámen já está fechado!"




É só questão de pegar o jeito! ;)

では!


segunda-feira, 2 de julho de 2012

Caros amigos leitores do blog,

Perdão pela ausência nesses últimos meses.
Estou de volta para dizer que, apesar de tudo, o blog não morreu e, caso isso venha a acontecer algum dia, vou comunicar oficialmente através de um post.

O fato é que o meu trabalho tem me exigido bastante; quando "virei a casaca" saindo da montadora H (não em itálico) e fui para a T, saí do conforto da vida de escritório 8 horas por dia e fui para o chão de fábrica. Para piorar um pouco, entrei no 塗装部門・とそうぶもん, setor de pintura, que por natureza é um forno.

Bom, cá estou de volta, e fico muito contente se alguém ainda estiver lendo.

Aproveitando a ocasião, gostaria de fazer uma divulgação de um projeto que comecei a tocar no início do ano e, finalmente, está engrenando: um livro.

Sim, um livro bem no estilo desse blog mesmo, na primeira pessoa, com linguagem leve e de fácil compreensão.

Pergunta 1: Para quem será destinado?

A princípio, a todos que leem esse blog, claro. Todos vocês que acompanham o que escrevo (alguns desde os primórdios, em março de 2009) estão automaticamente intimados a comprá-lo, quando for lançado. Tudo bem, ainda vai demorar, já que nem editora eu possuo, e sequer concluí um capítulo inteiro (digamos que escrevi cerca de três capítulos pela metade), mas desde já estou lhes avisando! ;)


Pergunta 2: Do que se trata?

De hormônios vegetais.

...péssima piada. Hormônio vegetal é o que me fez pegar birra eterna da matéria de Biologia, no segundo colegial.
Será sobre as dificuldades que os alunos iniciantes costumam ter, baseado na minha experiência de 3 anos e meio como professor. Não é exclusivo para autodidatas, mas acredito que irá tirar muitas dúvidas que surgem ao longo dos primeiros meses de aprendizado.


Pergunta 3: Quanto irá custar?

Boa pergunta, mas asseguro-lhe o seguinte: se você tiver a audácia de sequer pensar em tirar cópia dele em vez de comprar, será condenado a escutar çertanejo do pior nível (opa, olha a redundância!) com o volume ao máximo, até o último dia de sua vida!

...se isso lhe soa como uma boa ideia... bom... aí não sei o que fazer.


Pergunta 4: Como posso contribuir com esse livro?

Fácil. Não sei se alguém mais lê as publicações do guro das finanças Gustavo Cerbasi, mas nelas, ele publica algumas perguntas de leitores que considera mais interessantes e pertinentes. Podemos aplicar o mesmo conceito aqui, o que acham?


Pergunta 5: Quando será publicado?

Não sei. Mas antes do estádio do Curíntia ficar pronto; disso podem ter certeza.

...nada contra corinthianos, claro. É apenas costume.


Bom, se alguém tiver mais perguntas a fazer, por favor deixe como comentário! Vou voltar a publicar por aqui também, mas com posts mais curtos.

E por último, não deixem de me seguir no Twitter, @gabrielueda. Tenho postado dicas no estilo "Como dizer ... em japonês?".

では、また!

sábado, 25 de fevereiro de 2012

Lista com 100 verbos

Alguns posts atrás, fiz uma lista com 100 adjetivos de nível básico e intermediário, sem muito critério.

Dessa vez, decidi fazer algo com um pouco mais de lógica, ou pelo menos com algum tipo de ligação: 100 verbos que podem ser empregados cronologicamente na vida de uma pessoa.

Claro, há infinitos verbos que poderiam se encaixar no meio, mas procurei incluir aqueles com maior possibilidade de serem aproveitados como vocabulário!

Lembrando que o importante, quando o assunto é 動詞・どうし - verbos -, é saber conjugá-los, e não se limitar ao 意味・いみ, significado. Felizmente, a conjugação verbal em 日本語 é bem mais fácil que a nossa, que beira o absurdo, se pararmos para pensar. Recomendo que deem atenção especial à forma て, que ao meu ver é a mais utilizada de todas.

Vamos lá, então:

  1. 生まれる・生まれます
  2. 泣く・泣きます
  3. する・します
  4. 飲む・飲みます
  5. 見る・見ます
  6. 食べる・食べます
  7. 行く・行きます
  8. 言う・言います
  9. 思う・思います
  10. 歩く・歩きます
  11. ぶつかる・ぶつかります
  12. 投げる・投げます
  13. わかる・わかります
  14. 話す・話します
  15. 病気になる
  16. 風邪をひく・ひきます
  17. 治る・治ります
  18. 入学する
  19. 友達を作る
  20. 遊ぶ・遊びます
  21. 転ける・転けます
  22. けがをする
  23. けんかする
  24. たたく
  25. 殴る・殴ります
  26. 蹴る・蹴ります
  27. 泣く・泣きます
  28. 謝る・謝ります
  29. 許す・許します
  30. 仲直りする
  31. 笑う・笑います
  32. 勉強する
  33. 書く・書きます
  34. 読む・読みます
  35. 聞く・聞きます
  36. 質問する
  37. 知る・知ります
  38. 考える・考えます
  39. 覚える・覚えます
  40. 習う・習います
  41. 出来る・出来ます
  42. 卒業する
  43. 別れる・別れます
  44. 引っ越す・引っ越します
  45. 就職する
  46. 始める・始めます
  47. 会う・会います
  48. 寝る・寝ます
  49. 起きる・起きます
  50. シャワーを浴びる・浴びます
  51. 着替える・着替えます
  52. 遅れる・遅れます
  53. 急ぐ・急ぎます
  54. 走る・走ります
  55. 仕事する
  56. 働く・働きます
  57. 休憩する
  58. 休む・休みます
  59. 立つ・立ちます
  60. 座る・座ります
  61. 電話する
  62. 売る・売ります
  63. ミーティングする
  64. 帰る・帰ります
  65. 着く・着きます
  66. 開ける・開けます
  67. 入る・入ります
  68. 閉める・閉めます
  69. 付ける
  70. 交際する
  71. 婚約する
  72. 準備する
  73. 予約する
  74. 結婚する
  75. 誓う・誓います
  76. 信じる・信じます
  77. 祈る・祈ります
  78. 旅行する
  79. 飛ぶ・飛びます
  80. 乗る・乗ります
  81. 降りる・降ります
  82. 取る・取ります
  83. 買う・買います
  84. 探す・探します
  85. 見つける・見つけます
  86. 観光する
  87. 写真を撮る
  88. 送る・送ります
  89. 帰国する
  90. 戻る・戻ります
  91. 待つ・待ちます
  92. 育てる・育ちます
  93. やめる
  94. 怒る・怒ります
  95. がっかりする
  96. 離婚する
  97. 転勤する
  98. 再婚する
  99. 死ぬ・死にます
  100. 生き返る・生き返ります

Até cogitei criar uma historinha usando os 100 verbos, mas ficaria meio... estranho!

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Japoneses no exterior

数日前(すうじつまえ)- alguns dias atrás -, li um artigo bem interessante intitulado 『海外で日本人だとバレる行動』, e hoje decidi comentá-lo.

Claro, em primeiro lugar precisamos dizer o que o título diz, correto? Então vamos lá:

海外』 é parecido com 『外国』; o kanji comum, 『』, possui sentido de "fora, externo", e pode ser lido como 『そと』 e 『がい』, que é o caso aqui. Já 『』 é o velho conhecido 『うみ』, "mar", e 『』, 『くに』, simboliza "país". Ou seja, 『海外』 é uma outra maneira de se referir ao exterior.

Mas o mais interessante aqui é o verbo 『バレる』. A primeira pergunta é: por que metade katakana e metade hiragana? Por mais estranho que isso possa parecer, é bastante comum; indica que o verbo (ou adjetivo) em questão não é, digamos, padrão. Não sei exatamente como ou quando o verbo 『バレる』 surgiu, mas acredito que seja alguma gíria que acabou se firmando com o tempo.

Ah, o significado é mais ou menos assim: quando qualquer fato acaba sendo revelado sem querer, podemos dizer 『バレた』. Aqui, o que "baretou" (desculpem-me!) foi o 『行動・こうどう』, que é "ação, comportamento".

Assim, o título seria algo como "Comportamentos no exterior que entregam os japoneses", ou seja, quais atitudes dos 日本人 em terras estrangeiras acabam revelando suas nacionalidades.

A pesquisa foi feita com japoneses que já foram parados na rua com a pergunta 『日本人ですか?』("Você é japonês?") sem terem aberto a boca, e em qual situação foi.

A primeira resposta citada é:


『横断歩道(おうだんほどう)の信号(しんごう)(ま)ちの時(とき)で、青(あお)信号になるのを待っている時です』

"Na faixa de pedestre, quando estou esperando o semáforo ficar verde."


Quem já esteve no Japão sabe que isso é bem verdadeiro! Até mesmo em grandes centros comerciais em horários de pico, como Shibuya às 9 da manhã, é comum ver multidões em ambos os lados das ruas, pacientemente esperando pela luzinha do homem verde acender. Não que não exista quem faça 信号無視・しんごうむし (ato de ignorar o semáforo), mas são exceções, e não regra, como aqui.

Outra resposta interessante:


『タクシーを拾(ひろ)ったあとで、後(うしろ)ドアが開(あ)くのを待(ま)ってました。』

"Quando fiquei esperando a porta de trás do táxi abrir."


Pois é, até mesmo andar de táxi se torna uma experiência interessante no 日本. Talvez não pra eles, mas sim para nós que somos forçados a suportar o comportamento brutal e primitivo dos Shreks que nos conduzem por aqui.

Por lá, os 運転手・うんてんしゅ (motoristas) usam luvinha branca, perguntam o destino com educação, sabem contar os centavos de troco e ainda por cima abrem a porta do carro para a entrada e saída do passageiro, pressionando um botão no painel.

Próxima resposta:


『暑(あつ)くて喉(のど)が渇(かわ)いたモノですから、飲(の)み物(もの)を買(か)おうと、『自動販売機(じどうはんばいき)』を探(さが)してウロウロ・・・。(^^;)』

"No calor, fiquei com sede e perambulei atrás de uma 'vending machine' para comprar uma bebida."


...é. As famosas maquininhas de bebidas (não só de bebidas, mas é o tipo mais comum) fazem parte da cultura japonesa e devem ser um dos itens totalmente indispensáveis para a maioria da população. E não é por menos: poder comprar uma imensa variedade de bebidas - alcoólicas ou não - praticamente pelo mesmo preço de um supermercado e em qualquer esquina da cidade é um privilégio. Um privilégio que eu duvido, mas duvido mesmo, que algum dia o Brasil irá conhecer.

Ah, 『ウロウロする』 também pode ser considerado um verbo; expressa o ato de andar de lá pra cá, meio perdido.

Por último, o relato sobre um japonês no metrô de Nova York:


『車内(しゃない)が混雑(こんざつ)していたので、降(お)りるときにドア付近(ふきん)にいる人(ひと)を無言(むごん)で押(お)しのけようとしたら、「Excuse me!?」と強(つよ)くにらまれました。

"Para sair do trem, que estava uma confusão, tentei empurrar uma pessoa perto da porta sem dizer nada, mas esta me jogou um olhar feio, dizendo 'Excuse me?!'"


Isso é bem curioso: os japoneses são mundialmente famosos pela educação em público, mas não é considerado desrespeitoso sair dos trens empurrando todo mundo sem dizer um "a", o que difere dos padrões novaiorquinos.

...pelo menos é o que diz o artigo, pois eu mesmo 行(い)ったことない - nunca estive em NYC.

O verbo 『にらむ』 corresponde a "olhar feio", geralmente foi raiva!

Até alguns anos atrás, acho que o meio mais fácil de identificar um japonês era a câmera fotográfica sofisticada no pescoço, mas hoje, com o barateamento das デジカメ aliado ao crescimento econômico chinês, isso deixou de ser infalível. Mas acredito que os relatos citados aqui descrevem peculiaridades japonesas que vão continuar sendo únicas por mais um bom tempo!

Quem quiser ler o artigo na íntegra, clique aqui.
Carregando...