segunda-feira, 4 de abril de 2011

Empresas japonesas x brasileiras

Credo, o intervalo entre os posts está ficando cada vez maior! A última publicação foi no dia 23 do mês passado...

Bom, pelo menos dessa vez eu tive uma desculpa verdadeira: fiquei sem internet durante 5 dias! Isso por causa de um simples かみなり, raio, que caiu aqui perto e deixou o bairro inteiro sem conexão.

Eu sei que não devo, mas em situações como essa, fica difícil não comparar a qualidade do サービス, serviço, das empresas brasileiras com as japonesas. Enquanto as de lá (Japão) primam por fazer tudo com perfeição, as daqui parecem disputar quem é a menos pior.

Recentemente, chamou muita atenção a reconstrução da rodovia da cidade de Naka (província de Ibaraki) em apenas 6 dias, mas nem preciso ir tão longe para deixar evidente o quão abismal é essa diferença.

No último mês de fevereiro, pedi à minha amiga mineira Érika, que me trouxesse um iPod do Japão. Era bastante simples: eu o encomendaria daqui do Brasil, pela Amazon Japan, e pediria que fosse entregue na Jica, onde ela estava hospedada. Isso foi numa quinta-feira de manhã (horário brasileiro), e ela pegaria o voo para Guarulhos no sábado ao meio-dia (horário japonês). Como no site constava que o pedido seria entregue na sexta-feira - e eu sabia que poderia confiar nessa informação -, confirmei o pedido e fiquei tranquilo.

Mas, por algum motivo, o sistema entendeu que eu iria pagar pelo produto no momento da entrega, em 現金げんきん, cash, e não com クレジットカード, cartão de crédito, como eu queria. Consequência: foram sim fazer a entrega na sexta à noite, mas como a Érika não estava naquele momento, tiveram que levar a mercadoria de volta ao depósito.

O que surpreende não é o fato de terem cumprido a promessa e terem entregue (ou melhor, tentado entregar) o pedido em menos de 24 horas corridas, e sim o fato de eles terem retornado à Jica no sábado de manhã, sem que ninguém entrasse em contato!

Fim de história: meu novo iPod está aqui comigo, graças ao serviço super eficiente da Amazon Japan. Isso até soaria como propaganda, mas o fato é que, por lá, deixar o cliente satisfeito é mais que óbvio. É questão de honra.

Já aqui... estou há mais de um mês lutando para conseguir a troca de uma mesa que veio errada (ah, que fique bem claro: comprei no Magazine Luiza), e fiquei sem acesso à web (NET) durante mais de 90 horas por causa de um relâmpago. Lembrando que, no meio do caos causado pelo terremoto de 11 de março, os japoneses conseguiam se comunicar por e-mails com seus parentes.

Bom, apenas para concluir esse desabafo, deixo duas palavras que expressam bem o meu sentimento em relação à maioria das empresas tupiniquins:


不満・ふまん


不愉快・ふゆかい



Respectivamente: "insatisfação/insatisfeito" e "indignação/indignado".


『インターネットの会社(かいしゃ)のサービスが不満です。』

"Estou insatisfeito com o serviço da empresa de internet."


『1ヶ月(いっかげつ)以上(いじょう)たっても問題(もんだい)を解決(かいけつ)しないですから、不愉快です。』

"Estou indignado porque não resolvem o problema mesmo depois de mais de um mês."

Um comentário:

DeKu disse...

Até sobre desgraças o Gabriel dá um jeito de nos ensinar algo de novo hehe.