quarta-feira, 11 de março de 2009

Iniciantes - Pronúncias; parte 2

Ainda sobre pronúncias, vamos tentar padronizar algumas coisas por aqui?

Bom, conforme vimos até agora, antes que uma palavra seja transcrita do japonês para o rōmaji, é desejável que alguns pontos relacionados à pronúncia sejam comentados.

Vamos ver mais alguns?

Comecemos com a letra G. Em rōmaji, o G sempre tem som de G, nunca de J. Por exemplo, o estado de Gifu é pronunciado "Guífu". O filme do mestre Kurosawa, Kagemusha, é lido "Kaguemusha" e assim por diante.

Letra R: sempre tem som de R, como em coroa, e nunca de RR, mesmo que inicie uma palavra. Exemplo: o lendário filme do mestre Kurosawa, Ran, não se pronuncia ""!

Já o H, quando inicia uma palavra, é sempre pronunciado. Isto é simples, pois que eu me lembre, nunca escutei alguém falando "Comprei uma moto da ONDA!".

CHI: tem som de "TI", como em "gatilho". Um bom exemplo é a obra-prima do mestre Kurosawa, Shichinin no Samurai!


Tá, mas e quanto à entonação?

Aí que eu gostaria de padronizar algumas coisas. Pensei em utilizar algo parecido com os símbolos de pronúncia, mas iria complicar muito.

Então, minha idéia é incorporar alguns elementos deste método, como:

  • Escrita em itálico
  • /Barras/ para indicar que se trata da pronúncia
  • Ponto entre "sí.la.bas"
  • Apóstrofe antes da "'sílaba 'tônica"
  • Underline_para_indicar_espaço (ou_hiato)

Exemplo em português:

  • computador /com.pu.ta.'dor/

Então, os exemplos supracitados ficariam da seguinte maneira:

  • /'gi.fu/
  • /ka.ge.mu.'sha/
  • /ran/
  • /'hon.da/
  • /shi.'chi_nin_no_sa.mu.'rai/

Claro que, conforme a necessidade, este modelo pode ser alterado, mas achei melhor estabelecer um padrão antes de entrar em outras questões da pronúncia!


P.S. Quis passar a mensagem de maneira bem sutil que sou fã do Mestre Kurosawa, mas talvez tenha sido sutil demais!

Um comentário:

mI.one disse...

é chato ler de baixo pra cima -.-'