quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Tweet do astronauta Noguchi, e desabafo em relação a brasileiros estúpidos

Como a maioria deve saber, o astrounauta japonês Soichi Noguchi está na ISS há alguns dias e vem twittando de lá regularmente.

Hoje, logo quando acordei, me deparei com um twit em nihongo (alguns são em inglês) bem simples que achei que valeria a pena compartilhar com vocês:


お昼(ひる)ごはんはロシアモジュールで食(た)べました

なぜかBGMが浜崎(はまさき)あゆみだった

これ日本人の歌(うた)だよ、
って言(い)ったらきょとんとしてま した

なんでだろう???』



Vamos ver alguns detalhes?


お昼ごはん, muitas vezes abreviado como simplesmenteお昼, é "almoço".

Emなぜか, apareceなぜ』, que equivale aどうして e, mais informalmente, a (なん), "por quê?" Mas como é seguido pela partícula , passa a ter o sentido de "por algum motivo".

BGMé o acrônimo de "Background Music", ou seja, "Música de fundo".

, /u.'ta/, é simplesmente "canção" ou "música".

言ったら vem do verbo "dizer",言う, /'i.u/, 言います. A princípio, quando há a letra depois da forma , pode-se inferir que se trata da forma concidional, mas não é o caso. Já comentei brevemente a respeito disso antes, mas aqui seria melhor traduzido como "quando disse", parecido com 言った時(とき).

きょとんとする é uma expressão que, sinceramente, eu desconhecia! Googlei e descobri que significa "ato de olhar com surpresa"!

Bom, o recado inteiro fica, então:


"O almoço foi no módulo russo.

Não sei por que a música de fundo era da Hamasaki Ayumi.

Quando disse 'Esta música é de uma japonesa', me olharam com cara de surpresa.

Por que será???"


Há alguns dias, o Brasil ganhou destaque através de uma foto que o astronauta enviou via Twitter, mas em que se enganou ao dizer que era o Rio de Janeiro quando na verdade era Salvador!

Bom, não vejo isso como um erro grave, afinal ele não disse algo do tipo "Buenos Aires - Capital do Brasil", certo? E que obrigação ele tem de saber com exatidão o nome das cidades litorâneas brasileiras? Tenho certeza que ele tem trocentas outras coisas mais pertinentes ao seu trabalho - consequentemente mais relevantes - do que o nome de duas cidades de um país com que não tem qualquer tipo de relação pessoal ou profissional.

Bom, esta é minha opinião, e claro que não vejo problema algum em cada um ter sua. Isto é, desde que não venha a expor uma postura de intolerância e denegrir ainda mais imagem do povo brasileiro, como lamentavelmente alguns fazem questão.

Do que estou falando? De comentários vergonhosos como deste cidadão aqui.

São atos repudiáveis como estes que sujam a imagem do brasileiro perante a comunidade internacional. No momento que li este comentário, senti uma mistura de nojo, indignação e principalmente uma tremenda vergonha de pensar que tenho a mesma nacionalidade que um ignorante desse nível.

Em momentos assim, paro pra pensar: "Que tipo de educação esse cara deve ter recebido?", mas ao mesmo tempo reflito comigo mesmo que há um limite no grau de influência da educação paterna na formação de um cidadão. Por mais que ele receba uma educação decente, se sua índole for naturalmente ruim, ele vai fatalmente virar uma pessoa ruim. E acredito que o contrário seja verdadeiro também.

Mas essa é apenas minha opinião pessoal.

Criei o hábito de refletir sobre o comportamento brasileiro, principalmente em momentos como este, que fazem com que atitudes xenófobas por parte de espanhois, por exemplo, passam a ser menos incompreensíveis.

Bom, não sou sociólogo para teorizar a respeito do ocorrido, mas basta ter um pouco de bom senso para enxergar que uma das principais carências do povo brasileiro é uma coisa bem simples:

Respeito.

3 comentários:

Luma Perrete disse...

Quem me dera esse fosse um problema só dos brasileiros. O que eu já vi de gente de diversas nacionalidades (americanos, japoneses etc.) falando coisas do mesmo nível ou pior na internet... Parece que a internet dá coragem pras pessoas falarem besteira e serem idiotas =/

gimenes. disse...

Ai, Gabriel, esse troço é meio problemático. Qual é o problema do cara não saber diferenciar o Rio de Salvador? Tem gente que nem sabe localizar o Brasil num mapa ou que nem sabe o nome de todos os Estados brasileiros e, sinceramente, a maioria não sabe nem onde é Pernambuco (se não fosse o Google). A maioria dos brasileiros estudados não sabem cantar o hino nacional, então, porra, por que falam mal do japa que nem morar aqui morou e não tem obrigação nenhuma de saber qualquer coisa?! Sei lá, o povo é bem medíocre às vezes e, por isso, eu prefiro ficar quietinha, alienada e sem saber nada disso.

Jonas Lima disse...

Olá, Gabriel. Primeiramente, parabéns pelo blog. É realmente um espaço bem convidativo, onde o japonês é tratado de modo divertido e muito curioso.

É, é mesmo uma vergonha. De fato, como disse Luma, ocorre em outros cantos, mas o problema está na criação do filho. Seus pais tem total responsabilidade pela índole dele, já que a criança é afetada desde o momento que nasce. Se ela vê desrespeito em casa ou falta de humildade dos pais, consequentemente não terá respeito. Cuidar de gente não é fácil, mas sujar o nome de um país é bem simples.

Bom, novamente, parabéns e felicidades aí!