terça-feira, 16 de março de 2010

Sobre a 2ª Enquete

Demorei tanto pra postar o resultado da 2ª enquete que sinto que ela perdeu um pouco de sentido!

A pergunta foi "Que tipo de conteúdo você gostaria de ver mais no blog?", e o mais votado foi:


"Expressões", com 59%.


Na verdade, já tenho voltado o conteúdo um pouco mais pra expressões, como por exemplo no tópico "Frase do dia".

"Vocabulário" é algo que acredito que esteja sendo suprido com o shiritori. Aliás, tive a ideia de começar o jogo justamente durante a enquete, então ela já foi mais que positiva!

Bom, é isso aí! A enquete foi também pra demonstrar que estou sempre pensando em maneiras diferentes de passar um pouco de conhecimento para todos.

O irônico é que os meus alunos, que deveriam ser os mais ligados no blog, são justamente os mais desinteressados (salvo algumas exceções).

Claro que não vou ficar dizendo a eles "leia, leia meu blog" o tempo todo, até porque o entusiasmo demonstrado por tantos leitores (que não conheço na vida real) é mais do que suficiente pra me manter motivado a escrever todos os dias!

Só deixo um alerta: o idioma japonês, definitivamente, não é como inglês, espanhol, francês, italiano e demais idiomas derivados do latim, que, além de uma gramática parecida com o português, possuem vários cognatos que facilitam o aprendizado. Sem contar que, exceto descendentes cujos pais ou avós saibam falar fluentemente, ou quem já mora no Japão, as oportunidades de se ter um contato frequente com o idioma são escassas.

Frequentar uma escola de japonês duas vezes por semana e achar que isso é suficiente pra adquirir fluência é pura ilusão. Esse é o caso mais típico de quem começa a estudar, vê que mesmo depois de 2 anos não sabe montar se quer UMA frase em japonês e... desiste.

Nunca disse que é um idioma fácil de ser aprendido. E não é mesmo. Cheguei até a pensar comigo mesmo: "De certo modo, é mais difícil que mandarim", e pode ser mesmo.

Mas se eu consegui (não que meu japonês seja perfeito, longe disso, especialmente depois de quase 12 anos sem prática!), qualquer um consegue. E é justamente pra diminuir o número de casos supracitados que mantenho esse blog, que há tempos faz parte da minha rotina.

Bom, o que eu quis dizer é: não obrigo ninguém a ler meu blog, pois ele não faz mágica, mas caso o tempo passe e você chegue à triste conclusão de que, se tivesse se iterado um pouco mais talvez não tivesse desistido do idioma, não diga que ninguém avisou.

Não estou bravo não, só falei um pouco sério! :)

Abraço a todos.

6 comentários:

ivancarlossakata disse...

moro em hiroshima shi faco curso semon gakkou de introducao basica; de helper ,agricultura, contabilidade patrocinado pelo hello work.o seu blog tem sido muito util para mim, principalmente pela atencao de sua parte e pelos ensinamentos . obrigado.

Marcus Aurelius disse...

Se for contar desde que aprendi hiragana e katakana, estou há uns 10 anos tentando aprender japonês. Mas a maior parte desse tempo fiquei parado, por ter dificuldade em encontrar material que estivesse justo no meu nível (que eu chamo de "um pouco acima do básico, sem chegar no intermediário").

Outro problema é que eu esquecia os kanjis. Daí tomei vergonha na cara e comecei a usar o Anki. Foi quando achei seu blog e vi que era exatamente o que eu precisva. :-)

Rafaela Gimenes disse...

Hoje eu tirei xerox de um livro que encontrei na biblioteca ensinando a fazer kanjis. A fazer mesmo? Bem, gostei do livro, porque ele explica tudo muito bonitinho. O foda de ler o blog é que, como não conheço NADA de kanji (você sabe disso), toda hora tenho que voltar pra saber o que aquele ali significa, porque já confundi com outro. UHASDUSHADUHSAD, mas isso é um problema que eu vou resolver. Atrapalha, porque no Shiritori, às vezes, as pessoas colocam kanji e eu num sei continuar... :/

Carol disse...

Eu terminei no fim do ano passado um curso de 3 anos em uma escola de idiomas aqui em SSA. Apesar do certificado que diz que concluí os 3 níveis (básico, intermediário e avançado)sempre soube que depois de 3 anos tendo aulas somente aos sábados, eu estaria no máximo em um "básico avançado". E assim é. Não consigo tempo suficiente para me dedicar então, o estudo tem que ser "devagar e sempre" (e nisso o seu blog ajuda muitoooo! ^^). Agora estou no Kumon e continuo estudando de pouquinho em pouquinho, mas desistir... "Jamas"!
Sem dúvidas inglês e espanhol foi muito mais fácil...hehehe! Bjos

Marcus Aurelius disse...

Rafaela, use o Rikaichan do Firefox! Você passa o mouse em cima das palavras e ele dá a tradução (em inglês). Parece que tem uma extensão como essa pro Chrome também. Isso muda a vida do estudante de japonês, hehe.

Gabriel disse...

Você mora em Hiroshima, Ivan? Puxa, é onde eu morei também! Só que foi em Higashi-Hiroshima, bem pro interior, na verdade!

Ah, Ivan, confirme, por favor, a inscrição do recebimento dos posts por e-mail! Consta que você se inscreveu no dia 12, mas ainda não confirmou, ok?


Marcus, ontem mesmo eu tava pesquisando no Google por sites em português que ensinam japonês, e... nossa, tem até bastante, mas a maioria está inativa, ou aborda bem pouco. Senti o peso da responsabilidade, com isso! Hehehe

Aliás, vou fazer um post sobre o Rikaichan, que você comentou! A vida da Rafaela vai mudar, de fato!

Abraços